Evocar Miguel Torga | "Nihil Sibi — A Fonte de Torga", por André Gago (voz) e Nicholas Mcnair (piano)

17 fevereiro | 18H00 | Evocar Miguel Torga | "Nihil Sibi — A Fonte de Torga", por André Gago (voz) e Nicholas Mcnair (piano) | Espaço Miguel Torga

Entrada livre

sinopse:
NIHIL SIBI é título do livro de poemas que Torga publicou em 1948. Significa, literalmente, nada para si. Torga dá-se ao mundo: O Poeta é uma fonte / Nada reserva para a sua sede; / Canta também a dar -se, / E não dorme, nem pára. Foi nessa fonte que fomos beber. Guiando-nos pelos seus Diários, onde grande parte da sua poesia está inclusa, procuramos identificar alguns dos temas que o acompanharam durante toda a vida. O seu universo pessoal define-se cedo, e não muda: essa coerência, semeada de contradições, é o que não pode deixar de surpreender. São décadas de uma rocha fustigada pela inclemência, não apenas das intempéries, mas por uma febre interior e inextinguível. Na impossibilidade de sermos exaustivos, fomos beber sobretudo nos Diários publicados até à
década de 50, a que alguns poemas mais tardios vêm juntar-se. Na nascente são já as águas de um “rio feliz a ir de encontro ao mar” que encontramos. Rio que irá por fim desaguar, para “em largo oceano, eternizar / O seu esplendor”. Através da reverberação da palavra límpida podemos ver o fundo, os seixos e os peixes de uma vida que correu para nos saciar a nós, seus leitores, na estiagem do século.


biografias:
André Gago
Actor, escritor, compositor e intérprete, desde 2004 vem criando eparticipando em espectáculos em que a poesia e a música seinterpelam, com destaque para A Flor do Lácio, Beat Hotel, NoPrecipício Era o Verbo, Hamlet em Pessoa, Os Poetas de Amália,Pena Capital, Canções para Poetas e Songs for Shakespeare.Adaptou ou traduziu para teatro autores como Jorge de Sena,Aquilino Ribeiro, Jean Anouilh, Shakespeare e Antonio Tabucchi. Com o conto O Circo da Lua recebe o prémio Revelação da APE ecria o espectáculo de novo-circo Lua! Em 2010 publica RioHomem, finalista do prémio Leya e Prémio PEN Clube paraPrimeiro Romance. Escreveu Marandicui, para música de ÁlvaroEscalona. Colecciona máscaras tradicionais portuguesas.

Nicholas McNair
Foi coralista principal na Catedral de Canterbury aos 13 anos de idade, tendo posteriormente estudado música na Universidade de Cambridge, bem como composição e piano no Royal College of Music. Deu o seu primeiro recital de improvisação em 1979, e em 1987 ingressou na Escola Superior de Música de Lisboa, da qual se reformou recentemente. Trabalhou nos anos 90 como editor para Sir John Eliot Gardiner, colaborando também com o Coro Gulbenkian como organista e pianista, com a Cinemateca Portuguesa e na preparação de produções de ópera contemporânea. Atualmente prepara a sua tese de doutoramento sobre improvisação, como investigador do CESEM/Nova.